>Teoria muito interessante reavivada por Ariel Hyatt, o modelo “mil fãs” prega que se você possui esse número como uma base de fãs que consomem seu trabalho artístico de verdade (vão em todos os shows, compram a camiseta, o CD, o mp3, comentam no blog/site do artista, etc) o total de receita adquirida por eles é o sulficiente para manter as contas pagas e fazer de você um artista que sobrevive da sua arte.

Aponta-se que é válido para outros nichos de mercado, como livros, fotografia, cinema, etc. salvo as devidas proporções (o número mil atende um artista. Se você é uma banda, aumente progressivamente esse número pelo número de integrantes, imaginando-se que cada um pode fazer um esforço paralelo para alcançar dois mil, três mil ou quatro mil fãs)

Leia a matéria completa clicando AQUI

Anúncios